sexta-feira, 24 de abril de 2015

Introdução da fruta


É do conhecimento geral que a fruta é uma importante fonte de vitaminas, minerais, fibras e anti-oxidantes, pelo que se aconselha o seu consumo regular e variado. Esta é introduzida por volta do 6º mês (ou antes no caso de bebés não amamentados), mas nunca deverão constituir uma refeição por si só. Normalmente oferece-se ao bebé, como sobremesa, e, tal como os restantes alimentos, deve ser introduzida de forma gradual. Para começar, dá-se apenas metade da fruta e vai-se aumentando para a peça inteira, dependendo da aceitação de cada bebé.
A Baby C., como começou com a papa primeiro (aos 4 meses e 1 semana), a primeira fruta foi apenas aos 5 meses.

Quais as primeiras frutas?
A maçã e a pêra e a banana, são habitualmente os primeiros frutos a serem introduzidos. Devem estar sempre bem maduros e serem, preferencialmente, da época.

Como preparar?
Pode ser crua, cozida a vapor ou assada, esmagada ou ralada.
A fruta crua deve ser sempre preparada no momento, porque as vitaminas oxidam por exposição ao ar e à luz.
Quando cozinhada, deve ser em pouca água e aproveitar a mesma, com casca e caroço para manter a maior parte dos nutrientes. Depois de cozinhada retira-se a casca pois esta tem uma quantidade elevada de fibra que pode levar à má absorção de outros micronutrientes. Só depois do primeiro ano de vida é que as crianças podem comer a casca dos legumes e da fruta.
É importante que, numa fase inicial, a fruta seja oferecida individualmente e não sob a forma de puré de vários frutos, de forma a permitir o treino do paladar, para além de que se o bebé for intolerante a alguma delas, será mais fácil de identificar. Aguarde 3-5 dias entre cada nova fruta, mas vá variando para garantir uma maior diversidade nutricional.

Quais as frutas a evitar?
Durante o primeiro ano devem ser evitados os frutos potencialmente alergogénicos ou libertadores de histamina como o morango, as amoras, o kiwi e o maracujá.
Ainda existe a ideia de que os frutos tropicais só podem ser oferecidos após os 12 meses, no entanto, não existe evidência de maior alergenicidade destes frutos.  Tanto a papaia com a pêra-abacate e a manga, têm uma riqueza vitamino-mineral significativa e que deverá ser tida em conta, justificando a sua introdução na dieta do lactente a partir dos 6-7 meses.


4-5 meses
6-7 meses
8-9 meses
12 meses
Maça
Pêra
Banana
Papaia
Manga
Pêra abacate
Meloa
Melão
Ameixa
Marmelo
Uvas
Pêssego
Damasco
Nêsperas
Ananás
Nectarina
Frutos silvestres
Maracujá
Kiwi
Laranja


Até breve!

terça-feira, 14 de abril de 2015

Recuperação pós parto… como perder aquela barriguinha extra?!

Depois de ter sido mãe, várias pessoas perguntaram-me como recuperei a forma física tão rapidamente. Para mim, a resposta era óbvia, mas pelo que tenho visto nas redes sociais, não é assim tão fácil para a maioria das mamãs. Ainda ontem, no grupo das mães do facebook, uma perguntava como poderia perder aquela barriguinha extra. Li todos os comentários e não respondi à questão, pois não ia ajudar muito… A verdade é que a publicação de hoje é para as que ainda não engravidaram!

A resposta a esta questão é simples e dura "Tivesse pensado nisso antes de engravidar!"

Eu tenho uns bons genes, eu sei! Tenho aquele metabolismo fantástico que me permite sair da linha algumas vezes sem fazer mossa, mas também tenho muito prazer em comer bem. O que vos faz pensar que não sou exemplo. Não é bem assim! Se eu não tivesse feito exercício físico quase toda a minha vida e não comesse minimamente bem, o meu corpo magro e tonificado não teria resistido a uma gravidez. 

Eis o meu truque:
Antes de engravidar estava na minha melhor forma física de sempre, com uma parede abdominal fortíssima, que me permitiu passar os primeiros 4 meses sem que ninguém percebesse que estava grávida. Mesmo aos 5 ainda enganava algumas pessoas. 
Durante a gravidez, não parei de fazer exercício (apenas abrandei e adaptei à minha nova condição). E, apesar de ter ganho 10 kg (confesso que tive um descontrolo por doces, que nunca tinha tido), parecia que tinha ganho menos. 
Quando sai da maternidade, só faltava perder 4 kg para o meu peso normal. Ao fim de 1 mês, faltavam 2 e, após 2 meses, já estava no meu peso habitual. 
Como a Baby C estava pélvica, tive de fazer uma cesariana e, como consequência, só pude voltar ao exercíco físico após 6 semanas, com o ok da médica. Comecei a medo, com muito cuidado, mas rapidamente voltei à normalidade do treino.
O apetite voraz por doces passou naturalmente com o nascimento dela, e assim voltei à minha vida normal, assim como o meu corpo (excepto as mamas, que nessa parte não houve nada a fazer).

36 semanas gestação

1 ano após a gravidez
Assim, futuras mamãs, não pensem que por irem engordar na gravidez, que não há problema já terem uns quilos a mais. É muito mais difícil recuperar a seguir do que se meterem na linha antes.
Bem sei quem nem todas somos iguais, mas posso afirmar com certeza que, se o fizerem antes de engravidar, vai influenciar e muito o após.

Para as mamãs que nada fizeram antes e agora estão em desespero, antes de mais, têm de ganhar coragem para largar os vossos bebés 2h do vosso dia! Arranjem estratégias: amamentem antes de sair de casa; levem os vossos bebés no carrinho e façam uma caminhada; façam do exercício uma prioridade e não algo que não dá tempo. É para o vosso bem e os vossos bebés agradecem. Mães felizes fazem bebés felizes! :)

E, por fim, não se esqueçam da vossa alimentação… Não precisam passar fome, nem é esse o objectivo. Comam a horas; várias vezes ao dia; variem a alimentação; hidratem-se bem; e não é por estarem a amamentar que podem comer tudo o que vos aparece à frente. A amamentação ajuda, mas não faz milagres!

Bons treinos e até já!

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Ovos da Páscoa

A Páscoa está à porta e com ela vêm as amêndoas e os chocolates. Parece QUASE inevitável!! :)

Deixo aqui uma alternativa diferente e criativa para fazer com os mais pequenos.

Ingredientes:
- 6 ovos de galinha (para os mais preguiçosos usar moldes)
- 2-3 morangos
- Frutos silvestres congelados ou banana congelada
- 1 iogurte natura
- 1 colher de mel (opcional)
- Palitos grandes

Preparação:
Lavar os ovos e enxuguá-los delicadamente. Com uma faca, fazer um furo na base de cada ovo. e aumentar o buraco, girando a ponta da faca (cerca de 1 cm de diâmetro). Retirar o conteúdo (aproveitar para outra receita) e lavar por dentro. 
Aquecer o forno a baixa temperatura (150 graus). Colocar as cascas num pirex e levá-las ao forno pré-aquecido durante 10 minutos. 
Entretanto, misturar os restantes ingredientes e bater com a varinha mágica/liquificador.
Pegar na casca do ovo e, com um funil ou jarro, encher com a mistura. Colocar os ovos na caixa, com o orifício voltado para cima. Enfiar o palito e colocar os ovos no congelador até ficarem congelados.  Retirar a casca e estão prontos a consumir.



Boa Páscoa!